Flash: Resume Texto (substring e indexOf)

Ver post no novo domínio: http://blog.rogeriolino.com/2007/02/23/flash-resume-texto-substring-e-indexof/

Esses dias no Forum FlashMasters um amigo meu deixou a seguinte dúvida:

Ele queria saber como fazer uma função para resumir um texto (uma String) por palavras. E não por caracteres. O que poderia ser feito apenas usando uma função substring() do próprio Flash.

Então fiz uma bem simples depois dei uma implementada nela (utilizando prototype) e estou postando aqui porque acho que poderá ser útil:

String.prototype.resume = function(q) {
var aux:String = “”;
for (var i=0; i<q; i++) {
aux += this.substring(0, this.indexOf(” “))+” “;
this = this.substring(this.indexOf(” “)+1);
}
return (aux += “…”);
}

Na função é passado por parâmetro a quantidade de espaços (palavras) no qual o texto será resumido.

substring() : Retorna um pedaço da String. Método sobrecarregado você pode passar dois ou um parâmetro (Integer). Passando dois o primeiro é o ponto inicial e o segundo final. Com um parâmetro ela retorna da posição escolhida em diante.

indexOf() : Retorna a posição (Integer) no texto (String) da Char/String passado como parâmetro, ou -1 quando não achar.

E para utilizar:

var texto = “Putz, o carnaval acabou comigo.”;
trace(texto.resume(3));
//output: “Putz, o carnaval …”

Mais sobre essas funções e outras:

Livedocs.Adobe.com – Flash 8

[update date=”24/02/2007″ ]

Adicionei condições para ver se o texto não é uma única palavra ou a quantidade de palavras no texto é menor do que a quantidade que quer resumir.

String.prototype.resume = function(q) {
var menor:Boolean = false;
var aux:String = “”;
menor = (this.indexOf(” “) == -1)?false:true
for (var i=0; i<q; i++) {
if (!menor) {
return this;
} else if (this.indexOf(” “) != -1) {
aux += this.substring(0, this.indexOf(” “))+” “;
this = this.substring(this.indexOf(” “)+1);
} else {
return aux+this;
}
}
return (aux += “…”);
}

[/update]

6 thoughts on “Flash: Resume Texto (substring e indexOf)

  1. mayara da silva

    “para Hitler a propaganda era uma das bases da criação da sociedade nazista. Antes de mais nada, ela deveria ser popular e capaz de atingir o coração-e não o cerebro-das massas. Cinema , teatro, musica, arquitetura, tudo deveria subordinar-se aos interesses de doutrinação ideologica do regime e à sua concepção – herdada de romanticos alemães, como o compositor Richard Wagner – de que a beleza e a arte aim regenear a politica. Sem esquecer que tambem era preciso incutir medo nas massas. Segundo Adolf Hitler, ‘A crueldade impressiona. As pessoas querem ter medo. Desejam se submeter a alguem com temor. As massas precisam disso. Precisam de alguma coisa para temer ‘ .

    Responder
  2. gabriela

    CARACTERÍSTICAS GERAIS DE BACTÉRIAS E ARQUEAS
    – Estudos comparativos de moléculas de ácido ribonucléico de cadeia longa (RNA),
    componentes dos ribossomos de todos os organismos, revelam que mudanças na
    seqüência de unidades (nucleotídeos) revelam histórias evolutivas das bactérias
    contemporâneas;
    – Muitas pesquisas têm concluído que as bactérias se reúnem em dois grupos
    diferentes e antigos: Archea e Bactéria
    – Arqueas e batérias são os seres mais abundantes do planeta;
    – As bactérias são os organismos mais disseminados pela Terra, vivem praticamente
    em todos os ambientes. São na maioria de nutrição heterótrofa, vivendo da
    saprobiose, do mutualismo e parasitismo;
    – As bactérias autótrofas realizam a fotossíntese ou então a quimiossíntese;
    – Uma colher de sopa de solo contém algo como 1010 bactérias, o filme de uma
    pequena raspagem das nossas gengivas podem revelar algo como 109 bactérias por
    centímetros quadrado, compõem cerca de 10% do peso seco dos mamíferos;
    – Elas cobrem nossa pele, se acumulam nas dobras, revestem as passagens nasais,
    auditivas e bucais, vivem nas gengivas e entre os dentes, colonizam nosso trato
    digestivo (especialmente o intestino delgado);
    – São chamados de microrganismos devido às reduzidas dimensões – são invisíveis
    ao olho nu;
    – São unicelulares e têm célula procariótica – demais seres vivos têm células
    eucarióticas;
    – Células procarióticas são mais simples que as eucarióticas – sem núcleo (material
    genético está em contato direto com o fluido que preenche a célula – citosol), nem
    compartimentos (organelas) membranosas no citoplasma;
    – São cruciais para a saúde dos sistemas digestivos, manutenção do solo na
    agricultura e para a existência do ar que respiramos;
    – As bactérias podem tanto curar como causar doenças;
    – A maioria não é patogênica;
    – Tanto arqueas como bactérias sobrevivem numa extraordinária abrangência de
    habitats hostis aos seres eucarióticos;
    – As exigências necessárias para o crescimento de todas elas são água líquida, fonte
    de energia e matéria (C, H, N, S, P, O, Mg, Na, K, Zn e uns poucos outros) em
    formas e quantidades adequadas;
    – Algumas sobrevivem e crescem a grandes profundidades oceânicas, ou mesmo
    dentro de granitos ou rochas carbonadas;
    – Outras têm sido capturadas em armadilhas por aviões estratosféricos bem altos na
    atmosfera;
    – Não se tem conhecimento de nenhum organismo capaz de completar seu ciclo de
    vida suspenso no ar, em qualquer outro gás ou no vácuo;
    – A incorporação de íons metálicos solúveis (Mn e Fe) em rochas – nódulos no fundo
    de lagos e oceanos – é acelerada por ação bacteriana;
    – Participação (metabolismo) nos processos biogeoquímicos dos depósitos
    concentrados de Cu, Zn, Pb, Fe, Ag, Au, Mn e S;
    – São os únicos organismos capazes de fixar o N2 atmosférico em nitrogênio
    orgânico;
    – Arqueas e bactérias são muito semelhantes, somente há poucas décadas foram
    diferenciadas (técnicas de análise molecular);
    – Diferem em relação à parede celular: diversas arqueas não têm parede celular, nas
    espécies com parede celular, ela é constituída por polissacrídios e proteínas, nas
    bactérias é de peptidioglicanos;
    – Diferenças na organização e funcionamento dos genes: arqueas têm organização e
    ação gênica mais semelhante às dos organismos eucarióticos e as bactérias com
    organização e ação gênica distintas;
    – Diferem nos ambientes que colonizam:
    Arquea – acreditava-se que os habtats típicos eram semelhantes ao da superfície da
    Terra durante o Arqueano (3 bilhões de anos), estudos recentes têm mostrado que
    estavam dispersas na água do mar , lagos e outros ambientes não sujeitos a condições
    extremas.
    Atualmente se sabe que floresceram como bactérias metanogênicas (produtoras de
    metano), halofílicas (afinidade com ambientes salinos) e termoacidoflílicas (afinidade
    com ácidos e calor) em lamas e solos deplecionados de oxigênio (anóxidos), ou lugares
    similares: fontes quentes, ambientes geotermais (fundo oceânico com alta temperatura,
    liberação de gases e ausência de oxigênio), mares salgados, lamas ferventes, cinza
    vulcânica. Ainda não foi possível cultivo em laboratório (morfologia e fisiologia pouco
    conhecidas);
    Bacteria – são os mais resistentes dos seres vivos. Algumas podem sobreviver a
    temperaturas muito baixas, bem abaixo do congelamento, por anos, outras vicejam em
    fontes de água fervente; e outras, ainda, crescem até em ácido muito forte, ou vivem
    retirando hidrogênio e dióxido de carbono das rochas.
    Alguns esporos toleram água em ebulição ou uma total dessecação. As bactérias são as
    primeiras a invadir e colonizar novos habitats: terra que foi queimada, solos vulcânicos
    ou ilhas recentemente formadas.

    Responder

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s